Fale agora

PIX nas empresas: Entenda tudo sobre o PIX para CNPJ!

O PIX criado pelo Banco Central surgiu em novembro de 2020 e se popularizou rapidamente por conta da sua praticidade.

 

Ele veio para facilitar e agilizar a transferência de dinheiro entre pessoas e empresas, trazendo mais uma opção de pagamento para oferecer aos seus clientes, além de dinheiro em espécie, boleto, cartão de débito ou crédito e transferência.

 

E mesmo antes do lançamento oficial, o novo meio de pagamento já era considerado uma das maiores inovações do setor bancário das últimas décadas.

 

A seguir, você vai entender o que é PIX, como ele funciona para empresas, quais as vantagens de adotar esse sistema de pagamentos para o seu negócio e muito mais!

 

Vamos lá?

PIX nas empresas: Entenda tudo sobre o PIX para CNPJ!

Capítulos

Capítulo 1: O que é PIX?

Batizado com esse nome para lembrar tecnologia, transações e pixels, o PIX é um sistema de pagamento e  transferência de dinheiro em tempo real que funciona 24h por dia, 7 dias por semana – incluindo feriados e fins de semana, criado pelo Banco Central, iniciado oficialmente no dia 5 de outubro de 2020 com início de funcionamento integral em 16 de novembro de 2020. 

 

Visto como uma das grandes inovações da tecnologia financeira, nele o dinheiro transferido cai em apenas 10 segundos na conta do beneficiário. É permitido transferências entre pessoas físicas e jurídicas e para qualquer instituição financeira, considerado uma opção mais rápida e barata para realizar transações bancárias, principalmente quando comparado com as TEDs e DOCs.

ícone pix

O PIX para empresa chegou com a intenção de mudar o modo como as empresas processam e recebem os valores. Com ele é possível fazer o cadastro de até 20 chaves para receber e enviar pagamentos. Ele pode ser usado para pagamento de compras físicas e virtuais, quitação de impostos e transferências para terceiros.

 

Porém, não pode usar a mesma chave em instituições financeiras diferentes. Ou seja, se a empresa usar como chave principal o seu CNPJ em um determinado banco, não poderá usar essa mesma chave em outra instituição.

Capítulo 2: Como surgiu o PIX?

Como o sistema financeiro brasileiro é conhecido como um dos mais modernos do planeta, o PIX surgiu pela necessidade de transações bancárias mais modernas, fáceis e ágeis. 

 

O avanço na tecnologia tornou praticamente tudo em digital, então nada mais justo que tornar as transações bancárias como recebimentos e pagamento em digitais também, e essa foi a motivação do Banco Central.

Em dezembro de 2018, eles criaram o Sistema de Pagamentos Instantâneos, do qual o PIX faz parte e tem como objetivo a menor circulação de papel moeda, agilizar pagamentos e recebimentos e diminuir burocracias.

 

O BACEN atualizou as “regras” do PIX em agosto de 2019 e em fevereiro de 2020, divulgou o que era o PIX e suas vantagens. 

Capítulo 3: Como o PIX funciona na prática?

Receber dinheiro em dias úteis virou coisa do passado, basta ter uma conta ou carteira digital em qualquer instituição financeira participante. Vale lembrar que o PIX não é um sistema apartado, e sim uma solução integrada aos sistemas das instituições.

 

As transferências por PIX ocorrem diretamente da conta do pagador para a do recebedor, sem intermediários. Basta informar a chave que o recebedor usa para a transferência.

 

Apesar da gratuidade do PIX para pessoa física, para jurídica é um pouco diferente.

Fica como opção da instituição decidir se irá cobrar e quanto será cobrado por cada transação, algo semelhante ao que já acontece com TED e DOC.

 

Mas a intenção é que a  taxa para PIX seja menor, porém atualmente algumas instituições financeiras cobram até R$10,00 por cada transação. 

 

Todas as instituições financeiras devem disponibilizar o PIX, e devem ter no mínimo 500.000 contas ativas em sua base de dados para a utilização dessa novidade.

 

Cerca de 1.000 instituições financeiras nacionais já estão utilizando o PIX, as principais são: 

  • Santander;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Bradesco;
  • Banco do Brasil;
  • Itaú.
  • PagSeguro;
  • Nubank;
  • Banco Inter.

 

E instituições renomadas também estão nessa lista, como:

  • Stone;
  • Rede;
  • Cielo.

Capítulo 4: Como usar o PIX?

As transações por PIX podem ser feitas das seguintes formas:

 

Chave PIX

 

Ela é basicamente o “apelido” para identificar sua conta bancária. Existem quatro tipos de chaves que podem ser adicionadas à conta: 

 

  • CPF/CNPJ
  • Número de celular
  • E-mail
  • Chave aleatória ( código alfanumérico gerado automaticamente pelo próprio sistema).

 

Ter uma chave PIX não é obrigatório, mas ela pode agilizar as transações, já que ela substitui a necessidade de informações solicitadas ao realizar uma TED ou DOC, como nome do banco, agência, conta, nome completo ou razão social e CPF ou CNPJ.

 

As pessoas jurídicas podem ter até vinte chaves PIX por conta e as pessoas físicas podem registrar até cinco, não sendo possível utilizar a mesma chave em instituições financeiras diferentes. 

 

Lembrando que a chave PIX não existe para substituir a biometria nem a sua senha do banco. Para realizar todas as operações no seu banco, caixa eletrônico ou aplicativo você ainda precisará dos dados de autenticação da sua agência.

 

QR Code

 

Ele é gerado e compartilhado diretamente no aplicativo da instituição financeira e pode ser de dois tipos: 

 

Estático: Pode ser utilizado várias vezes e possui um valor predefinido. Ele pode ser uma excelente forma de recebimento para prestadores de serviços ou estabelecimentos comerciais em geral, já que vale para muitas transações.

 

Dinâmico: É único e serve para apenas uma transação, ele é muito utilizado para evitar fraudes bancárias, pois é possível inserir previamente os dados de quem será o recebedor daquele pagamento.

 

Dados bancários

 

É possível também fazer transações informando os dados de quem receberá a transferência, assim como TED e DOC.

Capítulo 5: O PIX tem custo?

Segundo o Banco Central, o PIX é gratuito para pessoas físicas e MEI (microempreendedores individuais), e como já dito anteriormente, fica a critério da instituição financeira determinar tarifa para as empresas. 

 

Mas, a tarifação é proibida se as contas do pagador e recebedor do PIX forem do mesmo banco ou da mesma instituição.

 

O Nubank, por exemplo, pronunciou que suas contas para pessoas jurídicas terão PIX gratuitamente, outros bancos também!

 

Ressaltando que quando houver tarifas, as instituições têm o dever de comunicar o cliente, sendo por extratos bancários ou mesmo informado nos canais de suporte das instituições.

Capítulo 6: Quem pode usar o PIX para PJ?

Para a atualização do PIX PJ, basta ter uma conta ou carteira digital em alguma das instituições financeiras participantes, independente do tamanho da empresa, os pagamentos via PIX podem ser feitos entre:

 

  • Pessoas físicas (P2P)
  • Pessoas e empresas (P2B/ B2P)
  • Empresas (B2B)
  • Pessoas e governo (P2G/G2P)
  • Empresas e governo (B2G/G2B)

Capítulo 7: Como cadastrar o PIX para empresas?

O cadastro é muito simples, apenas cadastre a empresa por meio da instituição financeira e crie uma chave PIX, seja ela  CNPJ, e-mail, telefone ou uma chave numérica aleatória gerada pelo sistema, o registro pelo internet banking corporativo ou o aplicativo da conta PJ. 

 

Ressaltando que o uso da chave não é obrigatório, é possível realizar transações informando os dados da conta bancária, como é feito em um TED ou DOC. Porém é recomendado para assegurar uma operação mais prática e segura.

Capítulo 8: Quais as taxas do PIX empresarial?

Como os valores variam de acordo com a instituição, as taxas são bem variadas, porém ela é bem menor do que em outras modalidades de pagamento. Além disso, ela também varia conforme o valor do pagamento, chegando a ultrapassar R$150,00.

 

Por ser um modelo de pagamento aberto, a competição entre as instituições é notória,  é possível encontrar instituições que ofereçam taxas muito vantajosas. Venha entender mais sobre as taxas.

Os critérios que configuram a atividade comercial e, portanto, passíveis de tarifação segundo o Banco Central:

  • Recebimento de recursos por QR Code Dinâmico (PIX Cobrança);
  • Recebimento de mais de 30 transações com PIX no mês, por conta, por meio de QR Code estático, chave Pix ou inserção manual dos dados. Neste caso, a tarifa pode ser praticada a partir da 31ª transação.

Capítulo 9: Taxas cobradas pelos bancos para PIX empresas

Banco do Brasil

Transferência via PIX: 0,99% do valor da transação, mínimo R$ 1 e o máximo R$ 10

Recebimento via PIX: 0,99% do valor da transação, com tarifa máxima de R$ 140

 

Bradesco

Transferência via PIX:1,4% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 1,65 e máxima de R$ 9

Recebimento via PIX: 1,4% do valor da transação, tarifa mínima de R$ 0,90 e máxima de R$145

 

Itaú

Transferência via Pix: 1,45% do valor da transferência, tarifa mínima de R$ 1,75 e máxima de R$ 9,60

Recebimento via PIX: 1,45% do valor pago, tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$150

 

Santander

Transferência via Pix: 1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10

Recebimento via PIX: 1,45% do valor pago, tarifa mínima de R$ 1 e máxima de R$150

 

QR Code estático ou dinâmico:

Valor de R$ 6,54

 

QR Code via checkout (compras online):

1,4% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,95

 

Chave Pix:

1% do valor da transação, com tarifa mínima de R$ 0,50 e máxima de R$ 10 

Capítulo 10: Bancos que oferecem isenção de taxa para PIX Empresas 

  • Linker
  • Nubank
  • Inter 
  • C6 Bank 
  • Banco Original 
  • Caixa

Capítulo 11: Vantagens do PIX para empresas

O PIX oferece muitas vantagens tanto para pessoas físicas, quanto para empresas. Além de ser ágil, prático, rápido, ele oferece um novo mundo com milhares de benefícios, alguns deles são:

 

Envio e recebimento instantâneo

 

A maior vantagem do PIX é que os pagamentos serão recebidos de forma instantânea, a qualquer dia e horário. O pagamento é realizado pelos clientes e caem diretamente na conta da empresa, fazendo com que toda a operação seja mais ágil e cômoda. 

As empresas conseguem facilitar os pagamentos de impostos, fornecedores e funcionários  e outras obrigações com a mesma agilidade, levando em média 10 segundos.

 

Mais econômico

 

Sem intermediários, significa que não há taxas para realizar cada pagamento e recebimento, reduzindo assim os custos nas operações. Segundo o Banco Central, o custo do PIX para as instituições financeiras é de R $0,01 para cada dez transações, enquanto cada TED custa R $0,07 a cada transação.

 

Mais seguro

 

Com a tecnologia de criptografia, autenticação mútua e assinatura digital, aumenta a segurança nas transações, que foi criado pelo próprio órgão que reduz significativamente os riscos de fraude. A base é protegida pelo sigilo bancário e pela LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados).

 

Além do QR Code do PIX ser muito mais difícil de ser fraudado, o empreendedor não precisa levar dinheiro vivo até o banco para fazer seu depósito, facilitando e deixando mais seguro os negócios.

 

Disponibilidade imediata

 

Com o pagamento instantâneo oferecido pelo PIX as transações são concluídas em segundos e os valores pagos ou recebidos ficam disponíveis na hora, o que otimiza o fluxo de caixa e as conciliações contábeis.

 

Sem precisar esperar o período de compensação do boleto de cobrança ou precisa receber um pagamento urgente realizado em um fim de semana ou pagar taxas altas para a utilização de um meio de pagamento, como os boletos. 

 

Ademais, as empresas não terão mais que esperar o dinheiro passar por adquirentes, bandeiras e bancos emissores até chegar na conta, sem contar que não haverá mais  as taxas e o aumento do tempo de liquidação do pagamento. 

 

O PIX faz com que o dinheiro saia da  conta do cliente diretamente para a conta da empresa, sem ter que percorrer um longo caminho antes, ficando disponível na conta digital PJ de forma instantânea.

Com a disponibilidade de utilizar o celular, também dinamiza recebimentos e pagamentos e dispensa o uso do caixa para emissão de troco, o checkout  é fácil e rápido e promove eficiência e economia. 

Capítulo 12: Novas modalidades do PIX

Evolução é sinônimo de PIX, e como é uma modalidade nova, ainda há muitas atualizações para serem feitas, atualmente já foram lançadas duas novas modalidades, são elas: 

 

PIX Saque

 

Através dessa nova modalidade, ao invés de um produto, o cliente fica com o dinheiro em espécie do caixa do estabelecimento. Com ela, o usuário fará o login em sua conta bancária no celular. Na sequência, ele deve apontar o celular para o QR Code que está disponível no caixa do estabelecimento, e deve escolher o valor que deseja sacar e aprovar a transação. 

 

PIX Troco

 

O saque depende da compra de algum produto da loja, ou seja, ao fazer o pagamento, o usuário faz uma transação com um valor maior do que está adquirindo, recebendo o troco em notas físicas. 

 

Segundo o Banco Central, os comércios poderão determinar as próprias regras, eles podem escolher quais dias os novos serviços vão operar, quais serviços vão aderir e o funcionamento do saque.

Capítulo 13: O PIX vai substituir TED e DOC?

Segundo especialistas, os boletos bancários, transferências via TED ou DOC devem perder espaço com a chegada do PIX. Porém, será de uma forma progressiva, não de um dia para o outro!

 

Não existe nenhum sinal de que boletos, DOC (Documento de Ordem de Crédito) ou TED (Transferência Eletrônica Disponível) irão desaparecer. Mas a intenção é tornar o PIX algo muito mais prático e utilizado que as demais formas de pagamento.

 

Afora que poderá transferir ou receber valores apenas com informações como telefone ou apelido do recebedor , sem a necessidade de dados bancários, CNPJ ou CPF para realizar pagamentos, o que tornará tudo mais prático, simples e rápido.

Capítulo 14: Distinções entre os meios de pagamentos atuais e o PIX

PIX vs Cartão de crédito

 

No PIX não há nenhuma liberação de crédito ou recurso extra. Para realizar um PIX é necessário ter dinheiro disponível na conta no momento da efetivação da transação.

 

Para vendas por PIX, o dinheiro fica disponível na hora. Já em vendas realizadas por cartão de crédito, normalmente, o prazo para recebimento é de 28 dias. Mas existem instituições com prazos diferenciados, que giram em torno de 2 dias úteis.

 

O cartão de crédito costuma ter cobrança de anuidade. Já o PIX não possui nenhuma tarifa. 

 

Com o cartão de crédito é possível comprar várias vezes ao mês e só pagar tudo em um único boleto. Já o PIX, o dinheiro sairá da conta no momento da compra ou aquisição de produto/serviço.

 

PIX vs Cartão de débito

 

Para usar o cartão de débito, assim como efetivar o PIX, é necessário possuir saldo positivo na conta, mas quem recebe via cartão de débito, demora cerca de 2 a 3 dias úteis para ter o valor disponível.

 

PIX vs Boleto bancário

 

As pessoas ou empresas que recebem valores via boleto, precisam esperar 1 dia útil até que o valor seja compensado e entre na conta.

 

Os boletos só são emitidos ou compensados em dias úteis. Outra coisa interessante é sobre as notificações que envolvem o PIX, pois quando o valor de um boleto entra na conta de quem o emitiu, a pessoa não é avisada de que está disponível na sua conta. Já no PIX, tanto quem pagou quanto quem recebeu, é notificado sobre a transação.

 

PIX vs DOC ou TED 

 

Para as transferências convencionais DOC ou TED são necessários diversos dados bancários.

 

O dinheiro transferido via TED cai no mesmo dia se for feito até às 17h30. Já em transações via DOC o valor só fica disponível para o recebedor no dia útil posterior.

 

Os valores para TED não devem ultrapassar os R$5.000 e para DOC o limite de valor é de R $4.999,99. Quanto ao PIX, ainda não existe nenhuma sinalização de que haverá limite de valores. 

 

Em transferências de TED ou DOC, não existe nenhuma notificação sobre efetivação ou entrada de valores.

Conclusão

Agora que você já entende tudo de PIX, não existe motivo de não utilizar essa modalidade inovadora e que com certeza vai ser parte do cotidiano de todo brasileiro! 

 

Fale agora com sua instituição financeira e entre você também na onda do PIX, além dessas vantagens para sua empresa, com o PIX você também pode oferecer uma nova modalidade de pagamento aos seus clientes, desta forma, ele também auxiliará na redução da inadimplência dos seus clientes.

 

Para saber mais sobre como o PIX pode entrar no seu processo de cobrança, fale agora com nossos consultores!